© 2017 Mamatraca - Site criado por Confia.Me

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Instagram Icon

04/06/2018

Chega finalzinho de maio e todo mundo começa a se preparar para o folguedo mais lúdico do Brasil: festa junina! Que não custa relembrar, é talvez a maior festa do país, num monumental sincretismo religioso, que parte da celebração pagã pela colheita, deuses de fertilidade e abundância e se mistura com santos católicos, recebendo ao longo do tempo influências regionais nos quatro cantos do país e do mundo. Nas escolas tipicamente, as festas juninas são confraternizações que partem de um princípio arraigado na cultura, mas também se modificam com as influências da modernidade. E de certo modo, de um conhecimento mediano de cultura de infância que insistimos em manter. A festa junina escolar normalmente acumula brinquedões infláveis de todos os tipos, alimentos norte-americanos e danças readaptadas que "para agradar as crianças" invocam ídolos das paradas de sucesso para dentro do formato tradicional da quadrilha. Um festerê, sô.  As festas juninas escolares, todos devem saber...

30/11/2017

Para as famílias e especialmente as crianças, de uma forma geral, as CEIS diretas são sempre as melhores opções. Claro que existem excessões, mas as conveniadas costumam ser aquela escolinha do bairro, sem muita estrutura física e com precarização do professor, o que ocasiona queda da qualidade do atendimento. Aqui em São Paulo há CEIS conveniadas funcionando em cima de padarias e açougues.  Na rede de todas as CEIS, apenas 1/4 das escolas é direta. A prefeitura tem anunciado abertura de novas creches, mas ponha reparo! Todas elas indiretas! Belas fotos e aparente boa estrutura, mas a administração dessas escolas é particular. Ora mas isso não seria bom?  Não mesmo. Quem entende a educação como direito e não produto, não pode defender que se terceirize algo que é obrigação dos estados prover, e com qualidade sim. E o problema não é só ideológico: relatórios de muitos e muitos anos do Tribunal de Contas do Município seguem apontando as falhas no sistema de conveniadas e indiretas. Ou...

17/11/2017

Na última quinta-feira 09/11 ocorreria uma audiência pública na Câmara dos Vereadores, dentro da comissão de Educação e Esportes, para a qual eu fui convidada para compor a mesa. Essa audiência foi convocada ainda quando o prefeito de São Paulo queria oferecer subprodutos da indústria alimentícia para as crianças, medida anunciada em 18/10.

Como num filme de Hollywood, em menos de 15 dias passamos por um surpreendente plot-twist e de farinha de resto as crianças da prefeitura vão comer frutas orgânicas. Curiosidades à parte, audiência ainda necessária, como qualquer audiência, para abrir espaços de diálogos tão urgentes entre poder público e população. E eu estava lá, olha quem mais estava la: 

De acordo com o gabinete do Vereador Toninho Vespoli (PSOL) o Codae (Controladoria de Alimentação Escolar), o Comusan (Conselho Municipal de Segurança Alimentar) Geduc ( Grupo de Atuação Especial de Educação - do Ministério Público) além da SME na figura do Secretário Alexandre Schneider...

16/11/2017

Na escola municipal meus filhos basicamente só comem pão, arroz, feijão e macarrão. Os lanches levam muito leite, que eles não tomam. Os pães normalmente são aqueles industrializados cheios de gordura hidrogenada. O macarrão leva molho com carne, então para eles é sempre puro. “Macarrão com vento” eles falam. As refeições não tem variedade de grãos. Ainda bem que existem frutas e saladas. Até pouco tempo as verduras eram todas misturadas nas carnes. Então nem isso eles comiam.

Acho que deveria ser crime colocar carne nos legumes e molhos nos lugares de alimentação pública. Não aguento aquelas saladas do buffet salpicadas de presunto, ou aquela lentilha com bacon boiando. Por que? Por que? Eu sou à favor do separatismo total das carnes e dos legumes na alimentação coletiva. Quem quiser, mistura no prato.

Essa falta de cuidado no cardápio das escolas deixa as #criancasvegetarianas sempre com poucas opções de comida. E não é exclusividade da #escolapublica.

É um desconhecimento (e talvez u...

Please reload

PROJETO CLAREAR

COM CEILA SANTOS

 

ESPECIAIS

Please reload